Filhos de Alceu Valença, Dominguinhos e Geraldo Azevedo se reúnem em projeto musical

“Quem sai aos seus não degenera”, diz o ditado. E assim se fez na família de três grandes nomes da MPB. Crias de Alceu Valença, Dominguinhos e Geraldo Azevedo, respectivamente, Ceceu Valença, Liv Moraes e Clarice Azevedo herdaram dos pais o talento e o gosto pela boa música, construíram suas próprias carreiras e, agora, decidiram se unir para celebrar a obra de suas grandes inspirações. O show “Estação lunar” estreia neste sábado (dia 1º), às 21h30, no Solar de Botafogo, e promete seguir turnê Brasil afora por tempo indeterminado.

— Eu conhecia Ceceu de nome, por meu pai ser muito amigo de Alceu. Liv, eu já tinha visto cantar. Rolou uma química e uma afinidade absurda entre a gente, assim como com nossos pais — conta Clarice, de 33 anos, segundo o Extra.

Não se trata, no entanto, de uma reedição do Grande Encontro, a carioca garante. Embora Luã Mattar, filho de Elba Ramalho, esteja a par da ideia e seja uma intenção incorporá-lo ao grupo:

— Tentamos fugir um pouco desse rótulo (do Grande Encontro). Por isso, seguimos com arranjos bem diferentes, mais contemporâneos, com a nossa cara, sem perder a raiz de nossos pais. Luã sabe do projeto, mas ainda não foi convidado oficialmente. Queremos trazê-lo para o time. Ele é um músico maravilhoso, além de ser uma pessoa incrível!

Por enquanto “bendito fruto entre as mulheres”, Ceceu afirma que é ele o “chato e bem difícil” do trio.

— Mas, por elas serem tão doces, no fim tudo se encaixa. Temos uma química de astral, combinamos esteticamente e na sonoridade das vozes — completa o pernambucano, de 48 anos.

O repertório da apresentação é composto por clássicos como “Anunciação”, “Dia branco”, “Isso aqui tá bom demais”, “Tropicana”, “De volta pro aconchego”, “Coração bobo”, “Tenho sede”, “Gostoso demais” e, claro, “Táxi lunar”, canção que completa 40 anos de existência no ano que vem e que inspirou o nome do projeto. Os artistas interpretarão em trio, duplas e solo.

— São 14 músicas (no total) e foram bem difíceis de a gente escolher. Afinal, é uma melhor que a outra! — brada a paulistana Liv Moraes, de 37 anos.

01/12/2018

(Visited 3 times, 1 visits today)